Climatização temporária

Climatização temporária: como NÃO errar no cálculo da demanda de ar-condicionado

O trabalho de climatização temporária começa muito antes do início de uma festa. Um exemplo clássico disso são os casamentos em tendas com teto de cristal.

Isso porque enquanto os noivos se preparam para  o grande momento, várias equipes já estão em ação: a decoradora está espalhando os arranjos de flores pelo ambiente, os confeiteiros finalizando a exposição dos doces, a banda está passando o som, entre muitos outros.

A equipe da CAM 500 começa a trabalhar muito antes para garantir que, na hora da chegada dos convidados, não apenas o espaço onde acontecerá a celebração esteja com uma temperatura confortável, mas também as flores continuem lindas e os docinhos intactos.

Se você está se perguntando por que essa demanda anterior de climatização temporária é necessária, a resposta é muito simples: as tendas com teto de cristal recebem muita luz solar durante o dia, aumentando assim, a temperatura no ambiente. Se o ar-condicionado não fosse instalado bem antes, a tenda se transformaria em uma grande estufa e não há chocolate que resista ao calor, não é mesmo?

Pensando nisso, nós preparamos uma série de dicas para você não errar no cálculo da demanda de ar-condicionado em seu evento. Quer saber como garantir uma boa climatização temporária? Continue a leitura do artigo!

5 perguntas que precisam ser respondidas antes de calcular a demanda de climatização temporária

1- Qual o propósito do evento?

Esta pergunta é necessária pois, dependendo da natureza do evento, a demanda de climatização temporária varia. Se for uma palestra na qual as pessoas ficam sentadas, o cálculo é muito inferior ao de eventos onde as pessoas estão se locomovendo, por exemplo.

O mesmo acontece com a formalidade do evento: os convidados estarão de terno ou o com roupas mais confortáveis? Você há de concordar que uma sala cheia de pessoas vestindo terno e em movimento constante exige uma capacidade maior de climatização temporária do que uma plenária onde as pessoas estão com roupas mais leves.

2- Qual o turno o evento acontecerá?

Não apenas o turno importa, como também a estação do ano. Se o evento ocorrerá durante o dia, exigirá uma demanda muito maior de climatização temporário do que um evento que ocorrerá à noite. Quando falamos de cálculo de ar-condicionado, todos esses detalhes importam e influenciam diretamente no orçamento final do serviço.

3- Qual a estrutura do evento?

Este é o ponto mais importante no cálculo de climatização temporária, pois a troca de calor com o ambiente externo é gigantesca. Assim, caso o evento não tenha cortina de ar ou isolação, precisa de uma demanda muito maior para conseguir o resultado esperado.

Uma estrutura de alvenaria, com uma boa isolação, demanda menos refrigeração do que uma tenda, por exemplo. A tenda, por ter uma estrutura mais frágil, perde muito calor para o ambiente, principalmente se o modelo for o teto de cristal que falamos no início do texto. Essas estruturas são muito utilizadas em decoração por tornar possível a visualização do céu, tornando assim o ambiente mais agradável.

No entanto, é necessário refrigerar o espaço durante o dia, exigindo uma demanda muito maior de climatização temporária. E tudo isso agrega mais custo no preço final do serviço. Claro que há outras formas de otimizar esse resultado: é possível, por exemplo, sombrear o teto e tirar essa cobertura só na hora do evento.

Outro ponto importante é combinar com a organização do evento quando o ar-condicionado será ligado. Há casos extremos que, por mais que a equipe coloque uma boa demanda de ar-condicionado, o sol que incide através do teto de cristal não permite que o ambiente fique confortável. Nesses casos, o responsável pelo evento precisa decidir junto com a equipe da CAM 500 quais as medidas serão tomadas, pois quando a necessidade de refrigeração estiver presente, ela esteja disponível.

4- Existe mais de um ambiente?

Nos eventos onde a programação será realizada em várias salas, uma única distribuição de climatização temporária para dentro da grande estrutura sem sempre é suficiente. Há algumas situações em que é preciso colocar dutos internos, que também é feita de forma temporária.

Essas distribuições secundárias são feitas com dutos isolados. Elas são pensadas de forma que o ar chegue no lugar que precisa ser refrigerado, mas também respeite a capacidade externa de pressão e temperatura. Ou seja, é essencial que os dutos cheguem aos outros ambientes sem interferir na climatização da estrutura principal.

5- Há espaço interno para a instalação dos equipamentos?

Os equipamentos para climatização temporária em grandes eventos empresariais normalmente são do  tipo chiller — que também são usados nas indústrias, em shoppings, hotéis —  ou rooftops, que são equipamentos menores e com características técnicas diferentes das dos Chillers. No entanto, quando falamos em climatização temporária, precisamos instalar vários desses equipamentos.

Por isso, é preciso ter espaço externo para a instalação desses equipamentos, mas também para que eles cheguem até o local onde serão instalados. Os ar-condicionados são levados para a estrutura do evento por meio de guindastes ou de caminhão munck, então é necessário existir um espaço para manobra. Há casos, por exemplo, onde a equipe da CAM 500 precisa instalar passarelas para que o equipamento consiga ser transportado.

Climatização temporária também é preocupação com logística

É importante ressaltar que os pontos citados até aqui estão todos ligados a questões logísticas. Essas situações precisam ser vistas e alinhadas durante a organização para que haja capacidade de refrigeração suficiente para garantir o bem-estar dos convidados.

A CAM 500 mantém a manutenção de seus equipamentos em dia para assegurar que não ocorram  falhas técnicas durante o evento, mas a questão de logística, montagem e desmontagem e interação com as outras equipes precisam estar incluídas nas planilhas dos organizadores do evento.

Quer saber mais sobre climatização temporária? Baixe o nosso eBook gratuito: Climatização de ambientes: como escolher o ar condicionado ideal para o seu evento.